PARCERIAS

Rosa Elizabeth Acevedo Marin - Atualmente é professora Titular da Universidade Federal do Pará vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido - PPGDSTU /Núcleo de Altos Estudos Amazônicos e Programa de Pós-Graduação em Antropologia PPGA. Colabora no Programa de Pós-Graduação em Cartografia Social e Política da Amazônia, da Universidade Estadual do Maranhão - UEMA e uma das coordenadoras regionais, região Norte, do Projeto Nova Cartografia Social da Amazônia (PNCSA). Tem experiência na área de História, com ênfase em História Regional do Brasil, atuando principalmente nos seguintes temas: Escravidão no Pará, Comunidades Remanescentes de Quilombo, Territórios, Identidades e Cartografia Social.

Ivanilde Apoluceno de Oliveira realizou pós-doutoramento em educação na Pontificia Universidade Católica do Rio de Janeiro em junho de 2010. Concluiu o doutorado em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em 2002. Realizou, em 2001, doutorado sanduiche na UNAM e UAM-Iztapalapa no México, com estudos sobre ética com o filósofo Enrique Dussel. Realizou mestrado em Educação Popular na UFPB. É graduada em Filosofia pela UFPA. Atualmente é Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação e professora titular da Universidade do Estado do Pará. É membro da Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Educação. Coordena o Núcleo de Educação Popular Paulo Freire da UEPA. Coordena o Programa de Pós-Graduação em Educação da UEPA. É editora da Revista Cocar. Coordena a Cátedra Paulo Freire da Amazônia. Coordena a Rede de Educação Inclusiva da Amazônia. É bolsista produtividade do CNPq Nível 2. É Pesquisadora do Observatório Nacional de Educação Especial, da Rede Freireana de Pesquisadores, da Rede Luso-brasileira de Alfabetização de Jovens e Adultos e da Rede Interculturalidade e Movimentos Sociais - Rede Mover. Exerceu a coordenação do Forpred Norte de 2016 a 2018. Exerceu a vice-coordenação do Forpred Norte de outubro de 2015 a outubro de 2016. Exerceu a coordenação do FEPAE no período de outubro de 2014 a outubro de 2015. Exerceu a coordenação do Fórum de Editores de Periódicos em Educação do Norte e Nordeste no período de 2012 a 2013. Exerceu a vice-coordenação do Programa de Pós-Graduação em Educação da UEPA de 2010 a março de 2012.. Exerceu a coordenação do Programa de Pós-Graduação em Educação da UEPA (2003-2007), a Vice-coordenação do Fórum de Coordenadores dos Programas de Pós-Graduação em Educação das Regiões Norte e Nordeste (2005-2007), a direção do Centro de Ciências Sociais e Educação da Universidade do Estado do Pará (1996-1998), a vice-direção do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Estado do Pará (1990-1991) e a coordenação do Curso de Pedagogia da Universidade do Estado do Pará (1988-1990). Atua na área de Educação, com ênfase em Filosofia da Educação, Educação Popular e Educação Inclusiva, envolvendo ações educacionais com infância, crianças e com jovens e adultos. Em seu currículo Lattes os termos mais freqüentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: educação, educação especial, educação de jovens e adultos, inclusão, educação popular, filosofia, Filosofia da Educação e ética.

Adriane Raquel Santana de Lima- Doutora em Educação (Educação, Cultura e Sociedade) pela Universidade Federal do Pará - UFPA, com doutorado sanduíche na Universidad Pedagógica Nacional (Colômbia). Mestrado em Educação (Saberes Culturais e Educação da Amazônia) pela Universidade do Estado do Pará - UEPA. Especialista em Educação, Cultura e Organização Social pela UFPA. Licenciada Plena em Pedagogia pela UEPA. Pesquisadora dos campos da História da Educação, História de educação para mulheres na América Latina, Educação Popular, Educação do Campo e Feminismo decolonial e interseccional. É coordenadora do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação, Gênero, feminismos e Interseccionalidade -GEPEGEFI e está vinculada aos seguintes grupos de pesquisa: "José Veríssimo e o Pensamento Educacional Latino-Americano" e "Constituição do Sujeito, Cultura e Educação" do ICED/UFPA; do "Grupo de Estudo e Pesquisa Eneida de Moraes - GEPEM", no IFCH/UFPA, coordenando a linha "Gênero, feminismo e interseccionalidade"; e do "Núcleo de Educação Popular Paulo Freire", da UEPA. Participa, ainda, da Rede de Pesquisa sobre Pedagogias Decoloniais na Amazônia e é sócia da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação. Atualmente faz parte do quadro de professora efetiva adjunto 1 da Universidade Federal do Pará, no instituto de Educação ICED/UFPA.  E está diretora adjunta da ADUFPA. 

No IPPCS atuará enquanto pesquisadora articuladora e formadora , sobretudo, do projeto 2 Da antiga Belém Mairi aos povos da Amazônia- Patrimônio cultural e formações educacionais comunitárias.  E , também, nossa parceira representante do eixo da educação popular feminista no âmbito da UFPA.  Nessa direção vindo compor parceria junto com seu grupo de pesquisa GEPEGEFI na formação da gestão, junto com Lília Melo ( SEDUC-PA), da linha Mapas dos povos tradicionais e vozes da periferia para educação : Resultados das linhas de ações científicas e sociais para o Ensino e pesquisa  que está organizada , além de linha de frente de trabalho do IPPCS, enquanto linha do eixo científico e educacional dos povos da Amazônia e do campo negro do nosso Grupo de pesquisa Cartografia das cartografias dos povos da Amazônia: História oral, territórios tradicionais e os mapas das "(r)existências". (IPPCS/NAEA-UFPA), coordenação da profa. Dra. Alanna Souto Cardoso.

Flávio dos Santos Gomes - Licenciatura em Historia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ, 1990), bacharelado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ, 1989), mestrado em História Social do Trabalho (1993) e doutorado em História Social (1997), ambas pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atua como professor permanente no programa de pós-graduação em História Comparada, no Instituto de História da UFRJ. É professor colaborador do programa de pós-graduação em História da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Tem publicado livros, coletâneas e artigos em periódicos nacionais e estrangeiros, atuando na áreas de Brasil colonial e pós-colonial, escravidão, Amazônia, fronteiras, campesinato e pós-emancipação. Em 2009 obteve a John Simon Guggenheim Foundation Fellowship e em 2014 (junho-julho) foi pesquisador visitante da New York University (NYU). Realizou estágios de pós-doutorado na Universidade de São Paulo (USP, 2008-2009) e na Fundação Getúlio Vargas (CPDOC/FGV, 2012-2013). Foi pesquisador Cientista do Nosso Estado da FAPERJ (2014-2017). Desenvolve pesquisas em história comparada, cultura material, escravidão, história da educação e instituições escolares para escravizados e libertos no Brasil Oitocentista, Educação Quilombola e pós-emancipação nas Américas, especialmente Venezuela, Colômbia, Guiana Francesa e Cuba. Atua no Laboratório de Estudos de História Atlântica das sociedades coloniais e pós-coloniais (LEHA) do Instituto de História da UFRJ.

André Baniwa -  Além de ser o líder indígena do povo Baniwa do rio Içana, é empreendedor social, vice-presidente da Organização Indígena da Bacia do Içana, gestor de planejamento e projetos em associativismo, educação, patrimônio cultural e geração de renda em empreendedorismo e economia indígena e já foi vice-prefeito de São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas e Vice-Presidente da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (FOIRN). É autor dos livros "25 anos de gestão de associativismo da OIBI para o bem viver Baniwa e Koripako" e "Bem viver e viver bem segundo o povo Baniwa no noroeste amazônico brasileiro". Entre as conquistas da etnia Baniwa está a produção e comercialização da Pimenta Jiquitaia Baniwa desde ano de 2013, produto tradicional de sua cultura, Arte Baniwa (cestarias de arumã) que começou a ser comercializado em São Paulo desde ano de 2000 e Escola Indígena Baniwa e Koripako - EIBK Pamáali que funciona desde ano de 2000.  E luta pela pelo ensino escolar intercultural indígena ( profissionalizante e tecnológico) .



FAGNO SOARES

Doutor em Geografia Humana pela FFLCH/USP e doutorando em História Social  pela UFF, mestre e especialista em História do Brasil pela UFPI, pesquisador do Núcleo de Estudos de História Oral NEHO/USP, Grupo Trabalho Escravo Contemporâneo GPTEC/UFRJ e Pesquisador do História do Tempo Presente na Amazônia CNPq/UFPA. Líder do GP CLIO & MNEMÓSINE Centro de Estudos e Pesquisas em História Oral e Memória IFMA. Presidente da Academia Açailandense de Letras - AAL Biênio 2014-2016. Atualmente é professor de história do IFMA/Campus Açailândia.

Link para o Lattes: https://lattes.cnpq.br/3217068793114228

Coletivo Selo Nossas vozes . Sobre a rede coletiva https://selonossasvozes.blogspot.com/

MMIB - Movimento de Mulheres das Ilhas de Belém - mmibcotijuba.wixsite.com//mmibcotijuba- desde 1998.  A Adriana Lima é atual coordenadora.