PARCERIAS INSTITUCIONAIS DO GP CARTOGRAFIA DAS CARTOGRAFIAS DOS POVOS DA AMAZÔNIA:HISTÓRIA ORAL, TERRITÓRIOS TRADICIONAIS E OS MAPAS DAS (R)EXISTÊNCIAS. (IPPCS-NAEA/UFPA/ NEP-UEPA/ FUNBOSQUE)

 O Centro de Memória da Amazônia ( CMA) é atualmente responsável pelo acervo do Tribunal de Justiça do Estado do Pará ( TJE/PA). Foi criado em 2007 quando a Universidade Federal do Pará (UFPA) assinou convênio com o TJE-PA. 

O Centro de Memória da Amazônia agrega um acervo riquíssimo cartorário que datam de meados do século XVIII até a década de 1970 . Tal vasta documentação judiciária guarda toda uma memória das varas civis e criminais da capital e do interior do Estado.

O acervo circunscreve não apenas uma importância para a escrita da História oficial documental para com outras áreas do conhecimento , mas serve e se faz fundamental o diálogo para o entendimento de uma leitura crítica/ descolonial dessas fontes a luz da tradição oral dos povos indígenas e comunidades tradicionais no que se refere o processo de ocupação de suas terras tradicionais ocupadas em seus diversos processos dolorosos de territorialização e (des) apropriação de seus antigos territórios com o avançar da colonização e depois com os conflitos fundiários do Estado moderno que historicamente tem escamoteado toda uma cartografia histórica de resistência desses povos em relação as lutas , práticas espaciais e socioambientais em defesa de suas terras em que pese o uso comunitário da perspectiva das comunidades enquanto reais guardiães das florestas e a propriedade privada engendrada pelo Estado e grupos hegemônicos. 

Nessa direção é preciso, também, pensar em diálogo entre memória oral coletiva e tais registros que compõe grande parte do entendimento do sistema mobiliário e o processo de ocupação e urbanização que gerou o espaço periférico urbano, sobretudo , a Baixada Ribeirinha de Belém, uma região marcada pela canalização forçada dos cursos d`águas da cidade de Belém em que nela , também, demarca um espaço ocupado por povos tradicionais, a citar : os povos de terreiro, os quilombolas, indígenas e ribeirinhos deslocados para a cidade vivendo realidades citadinas ainda ligadas aos seus canais e modos de vida marcados pelas feiras locais , a cultura étnico-racial e popular.

É por essa compreensão que com muita honra apresento-vos o Centro de Memória da Amazônia enquanto nosso grande parceiro do GP Cartografia das cartografias dos povos da Amazônia: História oral, territórios tradicionais e os mapas das "(r)existências". (IPPCS/NAEA-UFPA) para realização de nossos dois primeiros projetos ligados ao eixo de investigação :  Por uma cartografia histórica da resistência dos povos indígenas e comunidades tradicionais da Amazônia: Patrimônio cultural e formações educacionais comunitárias, respectivamente ligado aos seguintes projetos abaixo.

Projeto 1: Uma 'nova' cartografia histórica dos engenhos e a "presencialidade" do passado nas comunidades tradicionais da Amazônia - Patrimônio histórico cultural, conflitos de terra entre voltas e revoltas afro-indígena. Pesquisadora/ autora/ orientação / membro responsável da linha de frente 1: Profa.Dra. Alanna Souto Cardoso & profa. Dra. Rosa E. Acevedo Marin ( co-autoria).

Projeto 2: Da antiga Belém Mairi aos povos da Amazônia- Patrimônio cultural e formações educacionais comunitárias. Cadastrado na plataforma do Instituto Cartografando Saberes na linha de frente 1. Pesquisadora/ autora/ orientação / membro responsável do projeto 2 linha de frente 1: Profa.Dra. Alanna Souto Cardoso. 

O CMA , atualmente, é dirigido pelo prof. dr. William Gaia Farias. E além dele como representante da direção do CMA para as colaborações com os nossos projetos, o coordenador do acervo e pesquisa do CMA, o prof. dr.  João Marcelo Dergan passam a ser , também, parceiros do GP IPPCS/NAEA-UFPA mencionado acima e aliados para a construção do laboratório de História oral do GP Cartografia das cartografias dos povos da Amazônia: História oral, territórios tradicionais e os mapas das "(r)existências". (IPPCS/NAEA-UFPA) .


Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação, Gênero, feminismos e Interseccionalidade -GEPEGEFI.

O GEPEGEFI é um grupo de estudos e pesquisa criado pela profa. Dra. Adriane Lima do ICED -UFPA que tem como um dos seus focos o diálogo e o arco de alianças com as coletividades de mulheres intelectuais, acadêmicas e ativistas dos povos da Amazônia e do campo negro enquanto  movimentos importantes para o empoderamento, autonomia e realização de projetos em que essas agentes se colocam nas posições de autoras e gestoras de suas produções próprias , seja no campo científico , seja no âmbito das gestões comunitárias e coletividades em que as mulheres dessa rede atuam e estão associadas.

 O Centro Estudos e Pesquisas em História Oral e Memória, cadastrado na base de dados do CNPQ e certificado pelo IFMA, com o selo da Associação Brasileira de História Oral (ABHO) é um grupo de pesquisa vinculado ao O Instituto Federal do Maranhão - Campus Açailândia.  E tem como líder o prof.dr. Fagno Soares ( IFMA), atualmente nosso parceiro para realização do projeto 1 que envolve as antigas terras de engenhos da Baixada Maranhense. 

O Grupo de pesquisa Clio & Mnemósine , segundo seu líder, tem como uma das finalidades a constituição de um banco de entrevistas sobre temáticas diversas relacionada a Pré-Amazônia Maranhense e, sobretudo, Açailândia, a serem tomadas como fontes de pesquisa.

Conta ainda com a participação de professores de outras instituições a citar a UFPA, UFPE, UFPI, FGV ,USP , dentre outras instituições. A equipe deste GP centra-se, portanto, nos caminhos do fazer historiográfico e suas interlocuções teórico-metodológicas com outros campos do saber, por meio da história oral, enquanto fonte e metodologia.